Manual da Cretinagem, Versão feminina

banner_cretinagem_feminina

Manual da Cretinagem, Versão feminina, baseado na versão masculina, escrito por Ully.

Descrição:
Tutorial delicadamente feminino para os momentos estratégicos do forró.

Introdução:
Para os iniciantes do forró, esclareço que há uma infinidade de nomenclatura e classificações para o forró. Neste caso estamos falando do autêntico Pé-de-Serra, excluindo forró eletrônico, forró de plástico, forró universitário, os ritmos bregas que se dizem forró, ou qualquer cópia similar.
Esclareço também que numa autêntica noite de forró pé de Serra podemos vivenciar: o baião, o forró, o xaxado e… O principal responsável pelos momentos de sofrências e querências em todos os forrozeiros e forrozeiras: o XOTE.

Segundo o autor da versão masculina: “Há quem diga que a Cretinagem é um DOM. Porém prefiro acreditar que se trata de uma arte maligna e dócil que pode ser aprimorada constantemente”. Portanto, passível de ser ensinada, reproduzida e aprendida.
Apesar de considerarem a Cretinagem uma arte, os forrozeiros geralmente praticam a cretinagem como se estivessem num campo de batalhas. Já as forrozeiras vivenciam este momento como uma peça de teatro, ou um espetáculo musical, com figurino próprio e atos, podendo ser ensaiado, ou de improviso.
A grande diferença entre forrozeiros e forrozeiras na arte da querência, são as estratégias… A delicadeza e a verdadeira valorização da arte da cretinagem feminina está nos detalhes.

1. A PREPARAÇÃO
Para a forrozeira, adepta da arte da sofrência e querência, a preparação é primordial. Não existe uma fórmula única, e sim adaptações para cada forrozeira.

Primeiro o figurino! Há figurinos adaptáveis a qualquer tipo de forrozeira (alta, baixinha, magrinha, peituda…) escolha aquele que mais se adapte, e que valorize o que tem de melhor… Não se preocupe, os homens tem visões restritas e se souber valorizar o que tem, os olhares são diretos…

Segundo: Um bom perfume!!! Sim não existe arma mais fatal para um forrozeiro do que um pescoço cheiroso. Não precisa ser de marca, importado, ou coisa e tal. Mas é primordial que seja de bom gosto!!! Um bom cheiro de sabonete também serve. Mas… Cuidado!!! Não exagere… Muito perfume pode ser enjoativo e afastar os forrozeiros…

Terceiro: o sapato! Em hipótese alguma use sapatos de salto num forró pé de Serra. Primeiro porque muitas vezes o ambiente é chamado de roots (raiz), ou seja valorizando o tradicional, podendo ser um chão batido, de pedras, ou até cimentado, podendo estragar o seu sapato. Segundo porque você deve estar o mais confortável possível para poder dançar a noite toda. Ou nos casos mais avançados quando se torna uma MESTRE JEDI do forró, dançar dois ou três dias inteiros nos roots pelo país a fora. Terceiro, geralmente o salão, no forró, está cheio e você pode machucar alguém quando estiver dançando e… Quarto e mais importante, como quase não há mulheres de salto no forró pé-de-serra, os forrozeiros podem pensar que você não é uma forrozeira e não te tirarem para dançar.
Um bom pisante é sempre a sapatilha, chamada de chinesinha ou uma sandálinha.

Pronto… O figurino está montado!!!

2. A CHEGADA.

Ao chegar ao forró, saiba que a grande maioria dos forrozeiros presentes se julgam Cretinadores. Cada um se achando “O CARA”, com uma falsa confiança que só se estabelece firmemente após umas boas doses ou litros de Catuaba (há variações, como os Xiboquinha, Jurupinga, capeta, ou mesmo a tradicional cerveja), tudo isso para deixá-los mais crentes em si mesmos.
Seja cuidadosa e observadora, quanto há um exagero da bebida, perde-se grande parte do mais importante: o xamego do forrozeiro… (fora o cheiro, que fica embebido em álcool)
Mapeie o terreno…
Observe… Afinal, quem faz a escolha é você!!!
Nem sempre aquele que está rodeado de mulheres, com a melhor aparência, é o melhor xoteador… Pense bem e esteja atenta aos detalhes…
Lembre-se eles estão numa guerra, nós num ato de arte, como uma peça de teatro, ou um espetáculo de dança, cada ato tem sua importância.
Há lugares onde o forró é dividido grupos ou tribos. Isso dificulta um pouco, caso você se interesse por alguém de outra tribo. Pode haver uma dificuldade triplicada quando você não é de tribo nenhuma, ou ainda é iniciante no ambiente… Mas não se intimide, apesar de tudo, o ambiente do forró é um dos mais acolhedores da noite, em qualquer lugar do país!!! Se você estiver bem consigo mesma, logo se encontrará no ambiente.

2.1 Identificação dos forrozeiros:
Os forrozeiros se dividem em classes, facilmente identificáveis, por suas preferências:
• Iniciantes: aparecem um pouco mais tímidos, geralmente com um figurino destoante dos forrozeiros tradicionais. Pode estar acompanhado de qualquer tipo de forrozeiro (este pode ser um indicativo do modo como vai se comportar). Caso tenha paciência, os iniciantes podem se sair ótimos forrozeiros, principalmente se tiverem ritmo e amor ao forró… Poucos passos e já estão envolvidos pela dança. Caso a forrozeira não tenha muita paciência, recomende o iniciante para aquela sua amiga que adora ensinar, quem sabe no próximo forró ele já não esteja melhor???

• Caçador: Não é forrozeiro, veio acompanhar o amigo porque não tinha outra coisa para fazer, ou porque disseram para ele que no forró é o melhor lugar para pegar mulher. Geralmente tem cara de lobo-mau, não tem ritmo nenhum e quando vem te tirar para dançar sempre solta: Eu não sei dançar, você me ensina? (ande sempre com o cartão daquele seu amigo, professor de dança e indique para o safado!)

• Pula-Pula (denominação proveniente do Rio de Janeiro): o nome é auto-explicativo. Geralmente andam em bandos e muitas vezes uniformizados. Dificilmente dançam com seres inferiores que não conhecem a senha de sua organização. São bons de saltos ornamentais e espetáculos. Recomendo para baião, no xote são amadores. Por serem mestres nos giros e performances, não conseguem ficar uma dança inteira sem girar… Ou seja, quando o clima ta ficando bom… Se afastam…

• Cretinos (BA), Terroristas (SP), Ratões (RJ): geralmente ficam a espreita. Tem como companheiro de noite um copo (pode ser de cerveja, catuaba, xiboquinha ou outra bebida alcoólica). São muito observadores e geralmente não dançam. Ficam esperando a hora do xote. Tem boa mira e geralmente são especialistas no assunto. Difícil de se esquivar, muitas vezes até de fugir. São táticos e geralmente utilizam de armas de hipnose, como um cangote absolutamente cheiroso…

• Mestre Jedi: Para chegar a este nível, geralmente o forrozeiro já percorreu todos os outros estágios e sabe dosar o que cada um tem de bom… Um bom cangote, charme, ritmo… Dança baião como ninguém… Mas xamega como o quê…

2.2 A Escolha

Uma boa forrozeira não chega, estréia!!! Afinal de contas, estamos comparando com um bom espetáculo. Pense que é a estrela, mesmo que não seja a personagem principal. Lembre-se papéis de coadjuvantes também ganham oscares…

Esteja atenta, mapeie o ambiente, os tipos de forrozeiros. Fique bem a vontade, curta a música e o ambiente. Pense que o mais importante é o amor ao forró. Um bom xote, com uma boa sofrência e querência é consequência!

O Cretinador vê o forró como um campo de batalha e logo entrará em campo. Ele poderá tirar você para dançar, ou se for meio tímido tirará a sua amiga. Neste caso, quando acabar a sequência de música, dê um sumiço, pois ele vai querer tirá-la para dançar em seguida. Não seja a segunda opção. Faça-o procurá-la pelo salão. Valorize-se!

Caso ele não a tenha notado, procure um amigo para dançar próximo dele. Não abuse da intimidade entre amigos, ou o forrozeiro escolhido pensará que está acompanhada e terá mais uma razão para não tirá-la para dançar.

Caso você tenha feito a escolha, esteja disponível… Se você for dançar todas as sequências com todos os seus amigos conhecidos e etc… O Cretino não terá oportunidade, nem você…

E se mesmo assim ele não te notar, não se intimide. Tire-o para dançar.

Seja delicada e discreta, lembre-se que ele pode negar a dança, e isso não deve ser o fim do mundo. Ele pode estar cansado, não estar a fim de dançar, ou nem gostar daquela música.

Aproveite as oportunidades e saiba ler a intencionalidade do corpo, para evitar NÃOs desnecessários:

• Evite chamar alguém para dançar que acabou de pegar uma cerveja geladinha, ele não vai deixar a cerveja esquentar, mesmo que esteja MUITO a fim de dançar;

• Idem para quem acabou de acender um cigarro (eca!);

• Evite chamar quem está sentado, encostado numa pilastra ou de braços cruzados, a possibilidade de um não é muito grande;

• Por fim, alguém no meio do salão com olhar perdido, está procurando alguém para dançar: ÓTIMA oportunidade!!!

A regra masculina também vale para as mulheres, nunca chame ninguém para dançar pelas costas, evite também a posição frontal. Como recomendado no manual masculino procure a posição obliqua, caso você receba um não pode partir para o plano B (chamar outra pessoa, ir buscar algo para beber, procurar uma amiga, ou retocar o batom no banheiro…)

A mente masculina não funciona como a mente feminina… Competiçãozinha, ou fazer ciuminho não cola. A mente masculina é muito simples… Funciona no sim ou não. Quero ou não quero. Não existe mais ou menos.

Portanto, ou você joga para valer, ou nem entre em campo!

2.3 Como negar uma dança

Uma forrozeira pode negar uma dança por vários motivos: estar cansada, não gostar da música, não gostar do cara, o cara estar bêbado ou fedido…

Mas há duas maneiras de negar uma dança: negar negando ou negar querendo

Negar negando: agradeça, seja clara e firme, não precisa de mais nada do que um simples não… Não precisa esticar a conversa ou explicar os motivos. Não é não. Você pode até ser doce, mas seja firme, muitos homens ainda acreditam que quando uma mulher diz não, está querendo dizer sim…

Negar querendo: você realmente queria dançar com aquela pessoa, mas não naquela hora, pelo fato de estar suada, ou de não gostar daquela música, ou gostar demais e querer curti-la sozinha, ou já tinha prometido aquela dança para outra pessoa, não importa o motivo. Agradeça suavemente, sugira que ele venha tirá-la para dançar numa outra oportunidade, ou pergunte se pode tirá-lo para dançar mais tarde (se fizer isso, cumpra!).

3. A DANÇA

Hora de dançar é hora de dançar! Nada de papo cabeça… Caso haja interesse, ao terminar a dança puxe um papo. No máximo o básico, nome e algum comentário simples.

(1ºPASSO) Pegada é tudo. Sinta e verifique a pegada. Deve ser firme, mas não pesada. Segura, mas não violenta. Deve dar segurança e não rigidez! Responda da mesma forma. Na dança a mulher deve seguir o cavalheiro, ser leve e ao mesmo tempo firme. Ter personalidade.

Não tente demonstrar que você é uma mulher moderna e independente. Seja assim nos outros aspectos da sua vida!!! Na dança, sinta o movimento entre os corpos, a música e principalmente a densidade do momento!

(2ºPASSO) Dance com sentimento! Nem todos os xotes são como os cantados pelos “Filhos do Nordeste” (só sacanagem). Há letras muito bonitas e melodias fantásticas. Nada como um bom show do Xamego para despertar o “sentimento”. Sinta a música, pois toda música tem o seu clímax que ajuda na hora do xamego.

(3ºPASSO) Caso ele não tenha percebido que é um xote, insista em fazer aqueles passos aéreos, ou dar nós em seus braços, reavalie… Se valer a pena continue, quem sabe entre um giro e outro, você não mostra para ele como é dançar um xotezinho??? Se não valer a pena fique atenta a música…

Geralmente as sequências de xote são enooormes e é muito feio deixar alguém no salão no meio da música. Espero a música acabar (não a sequência), agradeça delicadamente e volte ao seu lugar…

(4ºPASSO) Neste momento ele irá iniciar o processo da Cretinagem…
Seja segura! Não deixe que cretino nenhum avance o sinal se você não quiser. O forró (xote) é diversão, azaração é consequência!

Segundo o manual MASCULINO: é dividido em cinco níveis de cretinagem, chegando ao quinto nível apenas os mais experientes na arte da Cretinagem. Os golpes mais terríveis são chamados de: Abraço do Panda, Panda Ninja, Cobra Naja e Narigada (para maiores detalhes consulte o Manual da Cretinagem versão 1.0 Masculina)

Discorro agora sobre movimentos de defesa e de contra-ataque para cada um destes módulos:

Cretinagem Nível 1 .:. Intensificado o aperto na cintura

• Defesa: Utilize a posição da SAÚVA, ou seja, como uma formiga saúva, vá buscando distanciamento da região (vamos dizer…) abaixo do umbigo, como conseqüência o corpo toma a postura de uma formiga saúva, para não dizer tanajura… (hehe) Ótima forma de defesa para os engraçadinhos, nativos de Itaúnas e os Naturebas (que criam o bixo solto, ou seja sem cueca)

• Contra-Ataque: há quem goste deste golpe e deseje intensificá-lo. Muito apreciado pelas cariocas, este Contra-golpe é chamado de CHAVE DE PERNAS. Para além da proximidade dos umbigos, as forrozeiras que queiram utilizar deste golpe, deverão manter-se na mesma posição (evitar a posição saúva) e abraçar as pernas do rapaz com suas pernas, de leve e delicadamente. Há quem diga que este é um golpe baixo e nunca deva ser usado. Os mestres Jedis recomendam em último caso, pois causam dependência e são altamente letais.

Cretinagem Nível 2 .:. Smeril Baiano. (geralmente o homem fica parado e comanda a mulher para mexer a cintura)

• Defesa: A posição da SAÚVA, não é eficaz neste movimento. Um bom movimento de defesa é fazer-se de desentendida ou mostrar-se iniciante (errar o passo). Isso obrigará que o seu parceiro inicie o movimento, ou seja, voltar para a base dois-dois. Volte a posição Saúva, que dificultará o smeril baiano. Uma outra alternativa é dançar com as pernas bem fechadas, dessa forma o parceiro não conseguirá fazer a preparação para o golpe.

• Contra-Ataque: a CHAVE DE PERNAS é potencializada neste nível, a posição das pernas do rapaz facilita o golpe. Você pode ainda entrar com os golpes de mão, que serão apresentados em seguida! Novamente a recomendação: utilize com moderação a Chave de pernas!!! Pode gerar dependência do parcero!!!

Cretinagem Nível 3 .:. Smeril Orelhinha. O rapaz inclina levemente o rosto para sentir o perfume da dama.

• Defesa: Muito utilizado em São Paulo como defesa aos terroristas, a posição da GIRAFA-DE-PESCOÇO-QUEBRADO é recomendada. Não é muito confortável, nem fácil de ser realizada. Precisa de muito treino é só as aspirantes a Jedi conseguem fazer.

• Contra-Ataque: Mudar o jogo e contra-atacar nesta situação é complicado, mas fácil é realizar o movimento primeiro. Caso não seja possível, recomendo a posição BONEQUINHA, aquela que fecha os olhinhos… Neste momento, os movimentos de mão são essenciais.

Cretinagem Nível 4 .:. Abraço do Panda. Esse movimento consiste inicialmente em segurar na cintura da dama com as duas mãos, executando uma suave massagem (subindo e descendo) pelas costas da vítima. A evolução desse milenar movimento se apresenta em duas formas distintas. A forma mais natural é um upgrade ao Abraço do Panda, transformando-o assim no Temível PANDA NINJA. A segunda forma é uma técnica utilizada elos mais terríveis e mortais cretinadores forrozeiros. É a técnica que aqui batizo de COBRA NAJA.

• Defesa: Se o rapaz chegou até aqui, é porque os movimentos de defesa anteriores não deram certo, ou você não soube realizá-los com destreza. Treine mais para a próxima. Caso ele tenha partido para o movimento Naja, ou abraço do Panda e sentir-se acuada, olhe bem para o parceiro, sorria gentilmente e agradeça a dança.

• Contra-Ataque: Apesar de parecer que Le está no comando, quando os Cretinos passam a essa fase, o jogo está completamente com você. Nem sempre eles conseguem realizar estes movimentos com destreza e quem acaba comandando a situação é a mulher. O jogo da sensualidade se inverte e geralmente eles ficam perdidos. Mas cuidado, não deixe ele perceber!!! Finja que está sob o controle dele e mantenha a situação!

• Cretinagem Nível 5 – Narizinho. Defendido como um dos principais golpes masculinos é também um dos mais fáceis de manipular. Tudo depende da angulação. Neste momento, os cretinos crêem que a Dama está dando o aval, tadinhos…

• Defesa: Maior angulação, utilize o própio nariz como escudo. Posição super segura!

• Contra-Ataque: menor angulação, a menor possível. Passar o nariz no rosto do rapaz pode ser um bom contra-ataque e não esqueça… Lábios sempre molhados, se possível com um gloss bem bonito!!! (bom depois disso não tem mais volta!)

Dicas femininas:

• Seja criativa, utilize o corpo todo… Para além de uma paquera, o forró é um encontro!! Aproveite os movimentos! Não existe dança mais democrática, que aceite os mais variados passos e os mais variados públicos.

• É possível que a mulher também conduza em alguns momentos, evitando choques com outros casais na pista, modificando o sentido e a direção da dança. Mas não abuse, lembre-se de quem está no comando (da dança) é o cavalheiro.

• Você pode fazer uma infinidade de movimentos com as mãos, desde pequenos carinhos, como um aviso ao cavalheiro que não usa retrovisor.

o Nivel 1 – Mão nas costas: reflete pouca intimidade ou insegurança, aumenta a distância entre o casal, permite mais mobilidade da mulher;

o Nivel 2 – Mão no ombro de lá (mão esquerda da mulher no ombro esquerdo do homem): também nos casos de pouca intimidade, aproxima um pouco mais o casal, mas pode impedir ou dificultar alguns movimentos do homem;

o Nivel 3 – Mão no ombro de cá (mão esquerda da mulher no ombro direito): dá um aspecto mais leve e mais livre para o cavalheiro, pode dificultar a condução em alguns casos;

o Nivel 4 – Mão na nuca: Um pouco mais de intimidade ou intensionalidade, pode causar desconcentração do cavalheiro;

o Nivel 5 – Mão no cabelo: Jogo duro, equivale aos golpes de panda ou naja masculinos, além de desconcentração podem causar sérios efeitos colaterias… (com cafuné então…)

o Nivel 6 – Se o rapaz soltar a sua mão… Opa, você pode juntar os níveis 4 e 5, uma mão na nuca e outra no cabelo dele (se não estiver cheio de creme ou gel… eca!!!)… FATALITY!!!

• E quando possível, feche os olhos… Você poderá sentir com mais intensidade os movimentos e a música!! Aproveite!!! Relaxe!!!

• Outro charminho feminino é a viradinha de rosto, colando rostinho com rostinho… Eles adoram…

4. Outras dicas: (retirado do site Capeta da Diaba)
a) Se você ainda não sabe dançar, não fique com vergonha, afinal ninguém nasceu sabendo, apenas se limite a dançar no cantinho, assim você fica mais a vontade e nãoatrapalha ninguém

b) Problemas com o ritmo, tudo bem, com um pouco de prática isso melhora, peça para algum amigo gravar uns forrozinhos para você… Escute mais em casa!!!

c) Não fique parado no meio da pista de dança, porque é o pior lugar para ser notado, afinal quem está ali está

d) Se você acha que o chão está áspero demais, não adianta levar a sua xiboquinha ou a sua cerveja para o meio da pista para que as pessoas que estão dançando a derrubem, você perderá a sua grana e o piso vai ficar grudento.

e) A pista de dança é certamente o local mais quente do forró, então você não precisa levar o seu cigarro aceso para ao notar que está muito calor apaga-lo no cabelo ou na cara de alguém que esteja dançando.

f) Não confunda o forró com as suas recentes memórias do parquinho, o forró não é um bate-bate, cabe ao cavalheiro evitar esbarrões e trombadas.

g) Começar um papo durante a dança é igual empurrar bêbado na ladeira, porque ele não tem como fugir, mas quem disse que ele gostou de ser empurrado? Espere acabar a música, ou até convide a pessoa para tomar um arzinho ali, fora da pista, afinal lá o som não está tão alto e você não precisa gritar e quem sabe até entender o nome da pessoa.

h) Evite pisar no pé da pessoa com quem você está dançando, a não ser que seja de propósito.

i) Se a pessoa que você chamou pra dançar recusou, não insista, ou ela está acompanhada, ou não quer dançar e você está sendo inconveniente. Se logo em seguida, ela aceitar dançar com outra pessoa, ela não merece a sua atenção.

j) Por outro lado, ela podia estar planejando dançar ‘aquela ‘música em especial com uma ‘certa’ pessoa! Dê mais uma chance à menina e peça novamente com jeitinho… …mas só uma vez.

k) Se você se empolgou com a xiboquinha ou cerveja, entenda quando a menina recusar uma dança… Nada pior do que um bêbado chato, desmontando nos braços da parceira e não conseguindo fazer nem o básico, 2 pra cá 2 pra lá.

l) Atenção meninas!!!! Batom vermelho e derivados ficam proibidos, pois é grande o risco de se deixar uma marquinha na camiseta do parceiro. No entanto se quiser causar uma discórdia entre um rapaz e sua respectiva, o uso da marquinha pode ser interessante… o ‘cangote’ é um dos alvos mais fáceis.

m) Se uma menina chamar você pra dançar, não se assuste…essa prática é normal no forró, já que os homens não tem coragem de convidá-las. Não pense que ela esteja te passando uma cantada e muito menos comece a lamber a orelha dela.

n) Não balance os braços em movimentos bruscos, assim você pode assassinar alguém. Também manere nos malabarismos com a sua parceira; lembre-se que ela definitivamente não é uma ‘Boneca’ e que afinal as mulheres são o sexo frágil e você pode quebrá-las, embora vaso ruim não quebre fácil.

o) Se uma menina dançar com muitos rapazes em apenas uma noite, não pense que ela seja fácil ou coisas do tipo. No forró não existe monogamia (pelo menos pra dançar). Quanto maior a quantidade de parceiros, maior a variedade dos passos…

p) Um lembrete importante! Se você é do tempo em que todo mundo sabia dançar lambada, esqueça o Sidney Magal que existe dentro de você! No forró o movimento quadril é muito mais sutil…e a marcação de tempo é outra! Preste atenção para não confundir pois fica muito feio!!!!

Conheçam também a versão masculina

Sobre o autor

Danilo Oliveira Santos,.DJ Kalango, DJ de forró, Analista de Sistema e idealizador do site ForróJF.

29 Comentários do “ Manual da Cretinagem, Versão feminina ”

  1. Olhaaa.. Parabéns pelos textos que estão sendo publicados aqui.
    Tem um melhor que o outro.
    Amei esse sobre a “Cretinagem”.. bom demais!!
    Ri muito, consegui identificar beeem todos os tipos de forrozeiros, aprendi umas “técnicas” (fatais) novas e reconheci umas nem tão novas!!! kkkkkkkkkk
    Parabéns mais uma vez! Esse site está ficando cada vez melhor e com conteúdos maravilhosos!!!

    Beijooss!!

    Xoooooooooooooooooteeeeeeeeee!

  2. Nada,

    obrigado por sempre acessar o ForróJF.

  3. Quem escreveu esse?? mtoooooooooooo bom! Está de parabéns! =)

  4. Alyne,

    a autora não quiz ser identificada.

  5. Kalango e Cris… Amo vcs…
    Parabéns pelo site…

  6. gente..amei…..tem uma coisinha q eu nao concordo mas tdu bem..o texto ta valendo d+++!!!

  7. Quem escreveu foi a ULLYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYYY…

    Ela é conhecedora dessas vertentes obscuras dos forrozeiros do sexo masculino.

    Vamos prestigiar ai galera e parabenizar a Ully.

    Parbéns pelo SITE.

  8. Thiago,

    Realmente foi a Ully que escreveu.

  9. Ully eh nossa embaixatriz da maldade

    Com o jeitinho quietinho ninguem desconfiava que essa mente era tao maliguina quando dos cretinos machos rsrsrsrsrs

    Ully is dangerous rsrsrsrsr

  10. não sei,mas eu ja conheci ela assim totalmente pirada…entao nunca tive essa impressão de “jeitinho quietinho”kkkk.gente fina d+++…devia fazer um livro sobre o forró ullyyyy!!!
    kkk

  11. Ahhhh… que isso?!?!?
    Nem conheço essa Ully, mas já virei fã dela!!
    kkkkkkkkkkkkk

    Parabéns!!
    ;)

  12. Calma galera que surgiram mais novidades rsrsrs

    com ully e os cretinos rsrsrs

  13. http://www.orkut.com.br/Main#Community?rl=cpp&cmm=94417803

    para galera tbm curtir a gente no orkut !! aiii owww

  14. A autora , médica e forrozeira de paixão, mostra de forma divertida e inteligente um pouco do forró pé-de-serra e suas peculiaridades, a arte da conquista e seus vários desfechos! Pessoas conhecedoras de vertentes obscuras ou possuidoras de mentes malignas não têm a sensibilidade para descrever nossa maravilhosa cultura expressada neste belo texto: Representam a parte desprovida de respeito e zelo ao próximo.
    Ully, lindo é o SEU texto!
    Inteligência é afrodisíaco e você esbanja!!!

  15. Putz, por que eu não li esse texto a uns 10 anos atraz… Ainda bem que conheço a Ully a uns 7 anos e ja tive a oportunidade da sua companhia em alguns varios forrós por ai… Bjus Ully, demais seu texto! Pior que é tudo verdade, a mulhererada que comanda!

    Parabéns a galera do site!

  16. Rapaz!!

    me diverti ás véras com esse texto!!

    Felicidades á nação forrozeira… parabéns pelo site e…

    oh gente… vao parar de guerra e vamo xotear…

    oXe !!! BOM D+ !!!!

  17. Parabéns, aí conhece!!!!!!!

  18. Que barato… Não achei que uma resposta a um texto geraria tantos comentários…

    Com o sucesso todo estou pensando em abrir uma empresa de consultoria forrozística!!!

  19. É Ully, você leva jeito pra coisa mesmo.

  20. Ótimo texto Ully !!!
    Mas tem uma vertente que você não conhece mas eu posso te explicar depois eu chamo de XP !! kk

    Vou deixar no ar…

    abraço a todos

  21. E o carnaval em Itaunas??????

    Já tem programação????

    Quero dica de hotel ou pousada mais em conta………..

    bjin

    Paty!

  22. Ully minha linda flor charmosa….adorei o manual na versão feminina….n podia ser feito por outra pessoa,afinal são tantos anos de forró….quando crescer quero ser igual a tu muié……dei mtas risadas e me identifiquei horrores……….kkkkkkkk….xero flor!!!!!

  23. Tenho Certeza que muitos se identificaram com muitos trechos …kkk
    Me diverti muito lendo….

    Bjo

  24. bom d+ hehehe
    tbm adoro mto dançar um xote, tenho até uns videos no youtube pena q sao dançando as mais rapidas…
    ah consegui identificar alguns grupos hahahaha

  25. é betinho e nao beinho hahahaha

  26. bom d+ hehehe
    tbm adoro mto dançar um xote, tenho até uns videos no youtube pena q sao dançando as mais rapidas…
    ah consegui identificar alguns grupos hahahaha.

  27. Que texto ÓTIMO!
    A versão masculina também tá legal.
    Muito divertido, e bem feito! Adorei!

  28. Nossa adorei esse texto é perfeito…. passei por várias situações acima e já usei várias dicas dadas tbm..e olha mesmo assim qndo vc ta afim de um forrozeiro nato às vzs vc se enrola…

  29. Massa! Fizemos uma ação on line para facebook.com/kuquemalinooficial que caracteriza seu texto, ficou muito bom.. Titulo:Coisas do forró.”

Comente você também